sexta-feira, setembro 09, 2005

Que falem...

Português, italiano, francês.Sejam dadas no meio da avenida, Camoesas aos romanos. Castanhas aos castelhanos.

No mar de gente levada ao som da batida, vários latins.

Inglês inquieto, Holandês sem rumo.A militância por um objetivo. Cadê? Vejo a Europa inquieta, cada qual que se meta em sua musica, seu estilo.

Embalados pelo som todos sem poder prosseguir, refrescam-se com doses fajutas dos drinks mais absurdos, assim vão abusando enquanto tudo continua estagnado.

9 comentários:

Abner Targino Francini disse...

ai ai ai...

Carolina disse...

Adorei!!!
Ah, aproveito para agradecer aos sempre lindos comentários! Adoro quando vc deixa umas coisinhas (rs)! E se for ver seu Chico, pode me chamar que vou com toda certeza!
Bjos

Thai^^ disse...

QueridaQuerida, não pode esquecer de você, não...
Amar é bombom demais, mas se se esquecer de você, como continuar?
=/
Adorei o post (acho que tá lonnnge de você perder a mão, sabia?)
=)
=*

P.S. Tem o orkut?
(http://www.orkut.com/Home.aspx?xid=6004700137767098950)

Felicitaty disse...

Abner! Bem vindo.. mas o que quis dizer com o ai ai???? :)

Felicitaty disse...

Ah carol... Carolina... menina! Eu que gosto de ler seus textos.. uma pena que as vezes não me sobra tempo de ler constantemente.quem bom que vai ver o chico no camarote.. tomara que ele resolva fazer o show... dedos cruzados.

Felicitaty disse...

Pois eh.. mas tudo no seu devido lugar.. eu estou aqui e minhas mãos também. Al1ias a única coisa que não funciona e a minha cabeça.. pode me mandar seu email? Ai mando meu nome completo. Assim me acha no orkut. Pelo link no way... beijos

luciana disse...

não sei se concordo ou não, será?
da europa sei de uma diversidade, mas se é assim assim mesmo, não sei.
o que conheço é mesmo minha terrinha aqui, nesse mês, bombachas para todos os lados, guris guapos.

e como eu amo tudo isso.

Felicitaty disse...

I.t. ,
Esse texto eu escrevi no inicio do ano, me referindo a parada gay, o volume de gente amontoada na avenida parada por quase todo o dia e a infinidade de representações internacionais. Existia musica boa, paquera, gente bonita, gente feia, tudo.. menos o principal, a militância. O objetivo se perdeu, cresceu tanto que saiu da forma. De luta contra o preconceito a nossa parada gay virou a “ balada” . Quanto a POA, eu amo a sua terra... as pessoas que moram ai são ótimas.. especiais únicas...

luciana disse...

é, mas passou ontem.