segunda-feira, julho 25, 2011

um momento




Hoje de costume fui levar o lixo. Em frente do local tem uma igreja, curiosamente cheia. A vida é provocação. Fiquei ali parada olhando, e viajei no tempo.

Um dia a gente se esquece, existem tantos outros para se lembrar. O TEMPO é curto. Os avanços, me fizeram pensar em um tempo remoto, para medir, não a força, mas a capacidade de rememorar, só os fatos que me fizeram bem. Por um minuto tive vontade de ter aquela vida novamente e poder visualizar o que faria hoje, quem seria...

Senti então no rosto a brisa delicada, o sereno da noite que iniciava, e aos passos tranqüilos caminhei de volta pelo condomínio com certeza da existência das coisas, e que não podem ser modificadas, a delicadeza do novo, mesmo que soe violento

5 comentários:

Sandra disse...

Sem maiores elocubrações...
C´est la vie!

Janela aberta sempre...

O tempo?
O tempo não perdoa. Porém perdoemos então, o tempo.

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.
(Mario Quintana)

R.K disse...

é... Tempo, tempo.....
quanto tempo!

beijo

R.K disse...

ah, linda... eu gostaria de te mandar um email, quero te fazer uma pergunta. Uma dúvida aqui.
qual seu mail?
beijos

Aline disse...

As vezes é isso apenas. escreva que eu adoro ler você. lembra quando lia em voz alta? sua voz continua a mesma? Nunquinha por causa da internet falei contigo. odeio a internet por isso. anne vai ao brasil, vc sabe disso?

Liliana disse...

Eu gosto muito da palavra “Complacência”, será que fui clara? Não se divide tempo e vida. Pense nisso. Temos um limite nosso no sentir. Você sabe disso não?
Cada pessoa é complacente diferentemente. Uns são mais que outros. Outros parecem que não são nada complacentes. E alguns parecem que suportam qualquer pressão e nunca rompem.
Você rompeu, e viveu melhor.. tenho orgulho de você por se permitir. Romper com o passado é algo lindo. Saudade dos teus textos vicerais, acalorados, não tão mornos. movimentado aqui ultimamente não é? resolvi me manifestar também.